QS: Inteligência Espiritual

Você já se deparou com aquele funcionário que executa bem as suas tarefas sem grandes dificuldades técnicas; tem compromisso com o horário e se adapta bem às regras e situações; não há o que se reclamar de suas entregas e resultados. No entanto, hummm… a ele falta alguma coisa! Não se sabe bem o que é. Parece que lhe falta um brilho, uma empolgação, um sentido para tudo isso. Falta-lhe desenvolver a Inteligência Espiritual.

No ambiente corporativo assustamos com aquele funcionário que, de repente, entra em licença médica por depressão, ou adoece com muita frequência. Em alguns cenários, o salário é bom, o ambiente de trabalho tranquilo e, mesmo assim, as pessoas estão adoecendo. Falta-lhes sentido para a vida e este cenário está cada vez mais presente nas organizações.

Questões como esta inquietavam Danah Zohar. Física e filósofa, em 2012 consolidou e desenvolveu um novo paradigma de Inteligência, a Inteligência Espiritual. Ela percebeu que o Quociente Intelectual (QI) medido em quase todas entrevistas de emprego no início do Século XX , ou mesmo o Quociente Emocional (QE), definido por Daniel Goleman em meados de 1990, não são suficientes para solucionar questões profundas da atualidade. Em um mundo de crises, onde o velho cenário não serve mais e o novo ainda não se estabeleceu, um vazio enorme vem tomando conta dos corações e QI e QE não resolvem esta equação.

Por QS refiro-me à inteligência com que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor a inteligência com a qual podemos inserir nossos atos e nossa vida em um contexto mais amplo, mais rico, mais gerador de significado; a inteligência com a qual podemos avaliar que um curso de ação ou caminho na vida faz mais sentido do que outro. [2]

Ressalto que a Inteligência Espiritual nada tem a ver com a sua crença, ou a sua religião. Inteligência Espiritual tem a ver com quem você é. Espiritualizar-se é um processo de encontro consigo mesmo e, por consequência, com o Divino que habita em você.

Por Danah, as inteligências se completam. Aquele que possui Inteligência Emocional desenvolvida consegue lidar bem com as suas emoções e são brandos. Eles conseguem viver na Terra e desenvolver bem o seu papel, mesmo num mundo em que se tem corrupção, pobreza, trânsito, desemprego, etc.

Bem-aventurados os brandos, porque herdarão a Terra. (Mateus, 5:5)

Por outro lado, os que desenvolvem bem a Inteligência Espiritual são criativos, mudam regras, alteram situações e são norteados, por ideais e um senso moral capaz de amenizar normas rígidas com compreensão e compaixão. Eles lutam por questões acerca do bem e do mal e vivenciam sonhos. Estas pessoas são questionadoras e vivem processos de autorreflexão na busca do EU profundo, questionando como a sua atividade profissional, alimentação, vestuário, falas, pensamentos e comportamentos podem influenciar positivamente tudo e todos.

Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. (Mateus, 5:9)

Os que desenvolvem a Inteligência Espiritual entendem o seu papel de cocriador de tudo. São reconhecidamente chamados filhos de Deus por entenderem o seu papel ativo na criação.

Vou fazer uma brincadeira com as três inteligências, para trazer um contexto mais prático:

Digamos que em uma reunião de trabalho aquele que tem um QI elevado consegue trazer argumentos para uma determinada inovação e acalorar a reunião com debates em alto nível técnico. Em uma situação em que todos ficam muito agitados e as discussões se alteram para sentimentos de raiva com gritos e socos na mesa, aquele que tem QE elevado consegue se manter calmo e tentar retomar a conversa de forma mais branda. Então, de repente alguém que parece não querer se envolver em “brigas” e tem buscado insistentemente um sentido para aquilo tudo diz: “Pessoal, já passa de meio dia e eu estou com fome. Assim, imagino que todos estejam com fome também. Proponho retomarmos a reunião depois do almoço.” Pronto. Todos concordam que a reunião não estava mais sendo conduzida pela mente e sim pelo estômago, resolvem almoçar e retomam de forma mais tranquila no turno da tarde.

Este foi um exemplo singelo da atuação de alguém que tem o QS desenvolvido!

Em seu livro Inteligência Espiritual, Danah Zoah estabelece características daquele que possui a QS desenvolvida:

  1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo.
  2. São conduzidas por valores humanos. São idealistas e creem na vida.
  3. Têm capacidade de encarar desafios e utilizar a adversidade a seu favor.
  4. São holísticas – têm a visão do todo integrado e a percepção da unidade.
  5. Celebram a diversidade como fonte de beleza e aprendizado.
  6. Têm independência de pensamento e comportamento.
  7. Perguntam sempre “por quê?” e “para que”. São agentes de transformações.
  8. Têm capacidade de colocar as coisas e os temas num contexto mais amplo.
  9. Têm espontaneidade de gestos e atitudes, e são equilibradas emocionalmente.
  10. São sensíveis, fraternas e compassivas.

Invista em seu desenvolvimento espiritual e o estimule em todos continuamente.

O que você achou do conteúdo? Deixe seu comentário no final da página.

Luz Estelar!

Referências:

[1] https://www.diegomangabeira.com.br/o-que-e-inteligencia-espiritual/

[2] Livro Qs: Inteligência Espiritual de Danah Zohar e Ian Marshall, tradução de Ruy Jungmann – 2017; livro original Spiritual Intelligence: The Ultimate Intelligence – 2012

[3] Palestra de Danah Zohar: https://youtu.be/9YVsGwurog8

[4] Outra explanação sobre o tema: https://youtu.be/dcPRONJHYUc

1 comentário

Deixe uma resposta para Diego San Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s